1 minuto de silêncio pela nossa auto estima que morre toda vez que mandamos uma mensagem pra alguém e ela só visualiza



Contra fatos não há argumentos.


daí a música é tão boa que você nem sabe qual trecho usar na indireta


“Todos fecham seu olhos quando morrem, mas nem todos enxergam quando estão vivos.”
Augusto Cury  (via futurorei)

“Sou insegura e inquieta. Quero saber logo o que será de mim amanhã. Se o que estou plantando agora, colherei no futuro. Parte desse dilema está errado. Já sofri o bastante pra querer desistir de tudo, e não estou exagerando. Não é drama de adolescente, eu juro. Nunca fiz mal à ninguém e acredito que minha descrença não iria resultar numa vida tão cruel quanto a minha. Parte de mim quer que o futuro seja uma surpresa, a outra parte está com medo de essa surpresa ser desagradável. Como é que vai ser? Eu penso demais nesse assunto, e acabo me preocupando. É esse o porquê da inquietude e da insegurança. Eu nunca fiz mal à ninguém, mas o que importa hoje em dia é: “Você pratica o bem?” Não sei. Não praticar o mal já é praticar o bem? É claro que eu queria fazer um pouco mais pelo mundo, mas sempre que posso, eu o ajudo. Me sinto feliz por isso, por ser quem sou nesse momento. O que me deixa descontente são os resultados, parece que o mundo se fechou pra mim enquanto eu estou abrindo os braços para recebê-lo, mesmo com as suas falhas. Não há mais nada que me agrade nessa vida. Não sei mais sorrir. Sou uma garota de dezesseis anos prestes a jogar tudo pro alto e “ligar o foda-se”. Eu não quero isso, não quero ser que nem essas pessoas, não quero contribuir para o mundo ficar mais hostil do que já é. A desigualdade está ali, bem ao lado dos seres humanos e eles estão seguindo em diante como se nada estivesse acontecendo. Está perante aos nossos olhos, mas diante disso, nos tornamos cegos, todos nós…”
Palavrisses.  (via capacitadora)


Meu coração é igual ao meu quarto, todo bagunçado e quando chega alguém eu simplesmente fecho a porta.